Buenos Aires, Argentina: Dicas e Roteiro Para o Fim de Semana

É impressionante como Buenos Aires ainda é um dos destinos mais favoritos do Brasileiros. Fiquei bastante surpreso com a demanda das 10 melhores atrações, das 7 melhores casas de tango e também Buenos Aires em imagens. A pedida dos amigos, decidi escrever um roteiro completo para um final de semana em Buenos Aires (ou três dias), com dicas de o que fazer, o que ver, onde comer, e onde se hospedar. Para quem já foi e que deixar alguma dica, eu agradeço! Vamos começar a nossa viagem.

Antes de viajar…

Quando ir e como chegar?

Buenos Aires é uma cidade metropolitana e cosmopolita, não há um período melhor para ir, a não ser pela questão do clima. No verão é quente e úmido, na viagem de fiz de réveillon peguei nada agradáveis 35 graus com sensação térmica de 40 graus, o que me motivou a explorar shoppings e outros lugares com ar-condicionado, mas média no verão é 30 graus e chove mais. O inverno é frio, já peguei 5 graus o que também não foi muito agradável. As meia-estações (outubro e primavera) são as melhores, mas consulte informação climatológica de Buenos Aires antes de decidir.

Para chegar em Buenos Aires vindo do Brasil é bastante fácil. Saindo de Porto Alegre (POA) até Buenos Aires é apenas 1 hora e meia vôo. Saindo de São Paulo ou Rio de Janeiro é 3 horas, 3 horas e meia, o que é bem tranquilo. Diversas companhias aéreas fazem vôos para Buenos Aires (Aerolineas Argentina, BQB, TAM, GOL e outras) e geralmente há diversos vôos durante o dia, então é possível sair um final de tarde e chegar em Buenos Aires para janta.

flight-poa-eze

Importante saber que Buenos Aires tem dois aeroportos: Aeroparque (AEP), localizado a cerca de 15-20 minutos do centro, e o Ezeiza (EZE) que fica cerca de 30-40 minutos do centro. Aqui a questão mais complexa são os taxis. No Ezeiza os taxis geralmente cobram uma tarifa paralela fazendo que o taxi custe cerca de 100 reais. Já no Aeroparque o valor cai para 20 reais. Os dois aeroportos tem boa estrutura e freqüência de vôo, mas Ezeiza tem mais vôos e um Freeshop maior que do Aeroparque, mas se Freeshop não é seu objetivo, prefira o Aeroparque para não morrer no taxi.

Onde ficar?

Hotel não é problema em Buenos Aires, se você não fez reserva pode tranquilamente ir até o Centro, Palermo ou Recoleta e bater na porta de um hotel e ainda consegue uma boa tarifa pagando com dólares. Já fui duas vezes para Buenos Aires sem reservar hotel, realmente não é problema, mas também não custa reservar e pagar parcelado no Brasil.

Ficar no centro geralmente é melhor, pois fica perto de todos os pontos turísticos que mencionei no post das melhores atrações de Buenos Aires. Tente ficar entre entre a Avenida Corrientes e a Avenida Belgrano com a Avenida 9 de Julio, pois assim você tem a vantagem de estar perto das atrações e diversos restaurantes. A desvantagem de se hospedar no centro é que a região é um pouco bagunçada e decadente. Mas isto não é problema, eu sempre me hospedo no centro e é bem tranquilo, há também outros bairros interessantes como a Recoleta, que é muito mais bonita, pois é bairro classe A e também o bairro de Palermo, onde há diversos restaurantes sofisticados e boas compras. Na verdade, não se preocupe se você ficar um pouco longe de tudo, pois navegar na cidade é muito fácil.

Chegando em Buenos Aires

Aeroporto e Imigração

O processo de imigração é bem tranquilo, mas é importante prestar a atenção em algumas coisas. Você pode ingressar na Argentina tanto com a identidade nacional (RG) como com o passaporte (óbvio). O RG precisa ser recente (menos de 10 anos) se você chegar com aquela identidade com foto de bebê e um carimbo “Não Alfabetizado” na assinatura é óbvio que será um problema. A mesma coisa com aquela carteira de identidade surrada de você levava junto com dinheiro para o futebol. A carteira precisa estar em bom estado! Não importa se a companhia aérea deixou você embarcar com aquele RG que você ainda tinha cabelo e estava 10 quilos mais magro. A cia aérea não tem nada a ver com a imigração. Carteira de motorista não é válida. Seja educado com os oficiais, pois você não está em seu país.

De qualquer forma, o oficiais geralmente perguntam quanto tempo você vai ficar e onde. É só dizer o nome do hotel ou se não tiver reserva diga que não possui mas que pretende ficar no hotel tal, por isto é importante saber pelo menos o nome de um hotel e o endereço. A imigração pode te solicitar a cópia da passagem de volta, como em qualquer lugar do mundo, então tenha o ticket impresso na mão. Muitos falam português, ou tem tradutor por perto. Então, tranquilo. Por fim, você receberá um papel que comprova a sua entrada na Argentina e não perca o comprovante!

Em todos os países que vou a primeira coisa que eu faço quando chegou no aeroporto é conseguir moeda local. Mas na Argentina há uma excessão! Como eu comentei no post de Rosário, o dólar tem boa procura e o câmbio paralelo chega a pagar o dobro do que você consegue em casas de câmbio ou em bancos, então vale a pena levar dólares para Argentina. Leve dólares trocado em notas menores de $5, $10 e $20 (já que não vão te dar o troco em dólares!) e utilize para pagar os taxis, refeições, presentes e tudo mais. É importante pegar um pouco pesos também pois em museus e alguns passeios, como o Teatro Colón, não aceitam dólares.

Como se movimentar?

Taxi e metro. Simples assim. Taxi é abundante e barato em Buenos Aires. Uma corrida do bairro La Boca para Recoleta (o que é de uma ponta da cidade a outra) custa cerca de 50-60 pesos. Os taxistas são muito amigáveis e prestativos, um taxistas cantou diversos chistes de futebol e outro, que parecia o Leôncio, ficou contado piadas e rindo, parecia que estávamos em um carro de família. O metro, ou Subte é uma opção mais barata e culturalmente rica, pois trata-se de um metro com mais de 100 anos de história e que ainda mantém um dos metros antigos com interior de madeira e luminárias de cerâmica em circulação (na linha A). É muito bonito, vale a pena passear.

argentina_buenos_aires_29

Outra opção para se locomover em Buenos Aires é a pé, o que é perfeitamente possível se você não tem medo de caminhar alguns quilômetros, eu geralmente caminho muito quando viajo (de 6 a 8 km por dia) então para mim não é problema. Uma opção interessante também é alugar uma bicicleta. La bicicleta Naranja oferece tour para você pedalar e como a cidade é plana, fica mais divertido ainda.

Roteiro Completo para o Final de Semana

Antes de mais nada, quero dizer que você deveria ficar mais que três dias. Sempre quando vou para Buenos Aires tenho vontade de ficar mais, e me arrependo depois de ter passado pouco tempo. Existem diversos passeios e lugares para ver, restaurantes e cafés para apreciar, é uma das cidades que me encanta muito e não é por nada que chamam Buenos Aires de “pequena Paris da América Latina”. Vamos ao o que interessa: o que fazer em Buenos Aires em um final de semana ou três dias.

Dia 1 – Sexta-feira: Noite

Tente chegar em Buenos Aires na sexta-feira antes das 9 horas, pois assim você terá tempo para ir até o hotel, se estabelecer e buscar um bom restaurante para apreciar a culinária Argentina. Os restaurantes ficam abertos até tarde então se for jantar a meia-noite não é problema. Isto em muitos países é impossível (Cof! Austrália! Cof! Estados Unidos!) o que eu acho muito chato.

argentina_buenos_aires_55

Eu recomendo fazer a primeira janta em Buenos Aires em alto estilo e ir no Puerto Madero. Há diversos restaurantes para apreciar o gastronomia Argentina: Las Lilas, Siga La Vaca, Campo y Mar, La Cabaña, etc. Peça um bife de chorizo e taça de vinho Malbec e estará bem. Se vocês preferir também há diversos restaurantes italianos e sushi se for a preferência. Também tem um McDonalds e um Burger King se você quiser manter o orçamento. Depois da janta dê uma caminhada na Puerto Madero e curta a atmosfera do lugar. Vá até a Puente de La Mujer e a Fragata Sarniento, aproveite o clima do Puerto sem presa, vale a pena.

Outra alternativa legal é ir para a Bohemia. Pegue um taxi e vá até o Club Home (antigo Botique – Museum) na Peru 535, entre Venezuela e Mexico no bairro histórico de San Telmo. Trata-se de um clube estilo restro-lounge que serve diversos pratos mais descolados e também sushi enquanto você curte uma balada forte. É interessante a “distinção” de idades: o primeiro piso é para os maiores de 30 anos e a pista central para os “universitários”. Claro que você pode transitar de uma pista para outra sem problemas, mas é interessante a proposta. Outra coisa interessante desta balada é que era em uma antiga fábrica projetada por Gustave Eiffel, o mesmo projetista da Torre Eiffel de Paris.

Se nenhuma destas opções é a sua praia e você quer curtir a essência de Buenos Aires em uma casa de tango, vá até o Bar Sur em San Telmo, que mencionei no post das Melhores Casa de Tango. Lá você pode chegar a qualquer hora e curtir um ambiente mais íntimo com boas opções de janta. Se tango não é a idéia, então sugiro caminhar pela Av. Correntes e Av. de Mayo para curtir as luzes da cidade e explorar os restaurantes.

Dia 2 – Sábado: Centro, Recoleta e Palermo

Acorde cedo pois temos um dia cheio! Bom, cedo para mim nas férias é 9 horas da manhã, então não é bem “cedo”. Se o seu hotel não oferece café da manhã (desayuno) ou se o mesmo é muito vigarista, comece aproveitando um dos melhores pontos turísticos de Buenos Aires: o Café Tortoni (Avenida de Mayo, 825). O Café Tortoni é um dos ícones de Buenos Aires com mais de 150 anos.No Café Tortoni além um delicioso cardápio, você também tem a opção de tango em dois ambientes no subsolo (La Bodega e Sala Alfonsina Storni) que são bem mais em conta que as grandes casas de tango. É uma boa opção para quem está com orçamento apertado, mas eu recomendo ir ver um espetáculo completo.

argentina_buenos_aires_48

Depois do Café Tortoni, caminhe até a Plaza de Mayo onde fica a Casa Rosada. A Casa Rosada é palácio presidencial e fica aberto a visitação nos finais de semana. Lá você poderá ver a decoração clássica e a interessante mistura de diverso estilos arquitetônicos. A visitação tem duração de 1 hora. Depois da Casa Rosada e Plaza de Mayo pegue a Diagonal Norte (Av. Roque Sáenz Peña) e caminhe até a Calle Florida. Na Calle Peatonal (rua de pedestres) Florida pode-se fazer boas compras desfarsadas de turismo. Dois pontos obrigatório para parar é a loja Falabella e Galerías Pacífico. Reserve umas 3-4 horas para este passeio e no final descanse na Plaza General Martín. Nesta praça você poderá ver a famosa Torre de Los Ingleses. A torre fica entre a praça e a Estação Retiro e possui um relógio que foi um presente dos Ingleses no século 17. Aproveite para ir até a estação Retiro, pois seu interior é muito bonito, parece que está numa estação de trem da Europa.

Saindo da estação do Retiro, vamos para Recoleta. Se você ainda tiver disposição, caminhe até a Juncal até a Plaza Pierre de Coubertin e pegue a Av. Alvear a sua direita. A avenida Alvear é uma das mais chiques de Buenos Aires, ali estão todas as lojas de grife como Louis Vuitton, Polo Ralph Lauren, La Martina, etc. Mas se estiver muito cansado, pegue um táxi na estação e peça para ir até o Hotel Gran Alvear (ou Alvear Palace) vale a pena entrar na recepção do Hotel e curtir o clima. Trata-se de um hotel estilo Copacabana Palace construído 1932. Você pode almoçar no L’Orangerie, restaurante do hotel que funciona das 12 às 15:30 hrs. Não é um restaurante caro, se você considerar o contexto todo e o fato de ser buffet livre. Mas não se preocupe, este não é o único lugar para almoçar, você está a uma quadra do coração da Recoleta e ali tem diversos restaurantes e descendo a Calle Junin tem o Shopping Village Recoleta. Tem várias soverterias Freddo por perto, você caminhou bastante, vai lá tomar um sorvetinho.

Cemitério da Recoleta

Aqui na Recoleta você precisa visitar o Cemitério da Recoleta. Está é última morada de todos os presidente Argentinos, assim como personalidades famosas, como Eva Perón e outros. Como falei no post das atrações, cada túmulo é esculpido em mármore e parece uma pequena casa com estatuas e decorações. O cemitério fica aberto para entrar até 17 horas e fecha às 18 horas. Depois de visitar o cemitério, se ainda for antes das 17 horas, você pode visitar o Jardín Japonés (Av. Casares com Av. Berro Aldofo). É bem bonito e vale a pena. Se não pegue um taxi e vá para Palermo Soho no final da tarde, mas especificamente na praça que fica na Calle Malabia e Costa Rica. Ali é bem legal para tomar um café ou uma cerveja e curtir o final de tarde.

Sábado a Noite

Como esta é a sua segunda noite em Buenos Aires, já está ambientado nas opções. A minha recomendação para um sábado a noite em alto estilo é ir curtir um show de tango. É importante que muitas casas de tango, tal como La Ventana, El Señor Tango, Madero Tango, etc. é necessário fazer reserva e escolher se queres o show com janta (cena y show) ou apenas o show. Dependendo o valor e do horário, eu recomendo ir apenas no show e depois ir em um restaurante na Recoleta ou no Puerto Madeiro. Mas isto depende muito da casa de tango que você for, por exemplo, no El Señor Tango o valor do jantar é o dobro ($500 pesos só o show e $1000 pesos com a janta), já no La Ventana a diferença é menor ($600 pesos o show e $900 show e janta). O cardápio das casas de tango são bons e inclui um vinho genérico. A maioria dos Tangos possuem transfer a partir do hotel, então é só ligar e dizer onde você está que eles vem te buscar. Realmente vale a pena ir em uma casa de tango, mas assim como na primeira noite, esta não é a única opção.

Outra opção é ir ao teatro. Consulte a programação do Teatro Colón e você não irá se arrepender. A Avenida Corrientes é uma pequena Broadway e há diversas casas com espetáculos músicas consagrados como Fantasma da Opera, Wicked, Frida, etc. Se esta é a sua preferencia, vale a pena pesquisar pois acredito que Buenos Aires possui mais teatros que todo o Brasil. Sério! Confira a lista de teatros em Viva Buenos Aires. Outra opção interessante é consultar a agenda do Luna Park pois seguindo há concertos internacionais passando ali. Também acontecem diversos festivais de música eletrônica em Buenos Aires como Creamfields, Godskitchen e ASOT, vale a pena consultar.

Agora, se você achou que o dia foi puxado e prefere alguma coisa mais tranquila, recomendo caminhar pela Avenida Corrientes e Avenida de Mayo e achar um restaurante típico Argentino. A minha sugestão é Palacio de Las Papas Fritas na Corrientes, é um restaurante bem simples, mais com uma comida muito boa. Peça um bife de Chorizo com Papa Suflê ou Papas Rústica, não tem erro. Você também pode ir jantar no Puerto Madero se você não foi na primeira noite ou quiser experimentar outro restaurante. O Puerto Madero também não tem erro, já fui em vários restaurantes lá e todos são muito bons.

Dia 3 – Domingo: Caminito, San Telmo e Passeios

argentina_buenos_aires_03

Dependendo da sua noite de sábado acordar domingo de manhã seja uma tarefa impossível. Mas não se preocupe, domingo é muito mais tranquilo. A primeira parada e a Feira de Antiguidades de San Telmo. Ao longo de Calle Defensa existem diversas barraquinhas vendendo todo o tipo de antiguidades. Se você estiver hospedado no centro você pode passear a pé pela Defensa ou então pegue um taxi até a Defensa com Carlos Calvo. Um pouco mais abaixo você encontra a Plaza Dorrego onde há diversos artistas dançando tango.

Na sequência, pegue um taxi e fale “El Caminito” e você será levado até um dos cartões postais de Buenos Aires. Como eu comentei nas melhores atrações, Caminito tem um importante valor histórico e artístico. Para entender melhor: ao longo do século 20, onde Buenos Aires emergiu como centro cultural da América Latina, o cenário artístico da cidade tornou-se eurocêntrico. Com isto bairro La Boca acabou sendo a morada de artistas mais alternativos e muitos pintores letristas que desenvolveram
o característico Filete Porteño. No Caminito tem muitas lojas de artesanado e souvenirs, além de restaurantes interessantes. Bem perto do Caminito fica La Bombonera, estádio do Boca Juniors. Eu não acho futebol interessante, mas o fato do estádio se chamar “caixa de bombons” é no mínimo curioso.

Se voce gostou da Feira de San Telmo e do Caminito e quer mais do mesmo, nos domingos tem a Feria de Mataderos. Trata-se de uma feira que promove as tradições gaúchas com muita dança, comida e artesanato. Vale a pena visitar mesmo se você é gaúcho. Para ir a Feria de Matadeiros não tem outra alternativa além de um taxi, que vai ficar em torno de 70 pesos.

Como é o seu último dia em Buenos Aires, aproveite para fazer as coisas que não conseguiu fazer no sábado, finalizar as compras que faltaram ou dar uma explorada por sua conta. Se você quiser se jogar nas compras não deixe de conferir os seguintes shoppings: Patio Bullrich, Alto Palermo, Shopping Abasto, Paseo Alcorta e Factory Parque Brown.

buenos-aires-tigre

Um passeio legal de domingo é ir caminhar na Reserva Ecológica de Buenos Aires, que fica passando atrás do Puerto Madero. A reserva é enorme e você precisa tirar o dia para isto ou então apenas caminhar na Av. Int. Hernán M. Giralt ou Avendia de los Italianos. Há diversos passeio bem legais que vale a pena conferir, como o passeio de barco no Tigre. Confira algumas as fotos da Ciudad de Tigre. Para ir até o Tigre é bem fácil, vá até a estação Retiro e vá de trem, o passeio é bem bonito. Antigamente havia o Tren de la Costa, mas ele encerrou as atividades em 2013. Chegando no Tigre compre um passeio de barco pelo Delta, só ir na estação fluvial e comprar o bilhete, os barcos saem a cada hora.

Também há eventos interessantes para visitar em Buenos Aires dependendo a época do ano. Se você é amante de carros antigos não pode perder a Auto Clássica que acontece em outubro na cidade de San Isidro. Consulte alguns festivais de Buenos Aires na Time Out.

Até o próximo destino!

Deixe seu Comentário